Stygimoloch

Informações do Stygimoloch

Nome Científico:Stygimoloch spinifer 
Época:Cretáceo , entre 67 à 65 milhões de anos atrás 
Local onde viveu:América do Norte nos EUA 
Peso:Cerca de 70 kg 

Tamanho:de 2 a 3 m de comprimento e 1,2 a 1,7 m de altura 
Alimentação:Herbívora

O Stygimoloch cujo o nome significa "diabo com espinhos", viveu na América do Norte e chegava a ter até 3 metros de comprimento, suas pernas dianteiras eram atrofiadas e utilizava sua longa cauda para dar equilíbrio ao corpo.

Possuía um crânio duro, resistente e cheio de chifres que provavelmente era usado para dar cabeçadas, acredita-se que os machos disputavam a liderança do bando, como os carneiros atuais, batendo as cabeças mas sem usar os chifres. Possivelmente utilizava seu poderoso crânio e seus chifres para se defender do ataque de predadores. 

Iguanodonte

Informações do Iguanodonte

Nome Científico:Iguanodon mantelli, Iguanodon bernissartensis e Iguanodon artherfieldensis 
Época:Início do Cretáceo, entre 140 à 100 milhões de anos atrás 
Local em que viveu:Bélgica, Inglaterra, Alemanha, Espanha e EUA 
Peso:até 4 toneladas 
Tamanho:até 10 m comprimento e 4 a 5 m de altura 
Alimentação:Herbívora

O Iguanodonte (dente de iguano) era um herbívoro grande, a espécie maior cresceu aproximadamente até 10 metros. Tinha a cabeça larga como a de um cavalo, com um bico córneo semelhante ao da tartaruga à frente de sua boca, que era ideal para retirar a vegetação.

Haviam numerosos dentes em filas paralelas na parte de trás de suas mandíbulas, possuía mais ou menos cem dentes e seu bico era bastante afiado, com saliências irregulares na borda, que o ajudavam a cortar as plantas. Foi um dos primeiros dinossauros com a capacidade de mastigar. Os répteis geralmente não podem mastigar porque não possuem músculos especiais para mover a mandíbula de lado a lado.

Seus braços longos e relativamente fortes, serviam também para arrancar folhas das árvores. No pés tinha três dedos e nas mãos cinco, seu polegar era pontudo como uma grande espora. As unhas dos pés e das mãos tinham um formato de casco, o que leva a crer que esse animal locomovia-se sobre duas ou quatro patas. 

Quando erguia-se sobre as patas traseiras, alcançava uma altura considerável, o que lhe servia de vantagem na luta com os adversários. Existiram diversas espécies de Iguanodonte, sendo as três mais importantes: Iguanodon mantelli (o primeiro dinossauro a ser encontrado, este é um dos mais famosos foi descoberto por Mantell); Iguanodon bernissartensis e Iguanodon artherfieldensis (as duas ultimas foram encontradas em uma mina da Bélgica).

Eram um tipo de dinossauro espetacularmente próspero e seus restos foram encontrados em quase toda parte do mundo, em países como: Inglaterra, Alemanha, Espanha, Bélgica, China e América do Norte. 

Amazonssauro

Informações do Amazonssauro

Nome Científico:Amazonsaurus maranhensis
Época:Cretáceo
Local onde viveu:América do Sul
Peso:Cerca de 10 toneladas
Tamanho:13 metros de comprimento e 5 metros de altura
Alimentação:Herbívora

O Amazonssauro cujo nome lembra a região onde foi encontrado, a Região Amazônica, viveu há aproximadamente 110milhões de anos atrás, no início do período Cretáceo, na região norte do Brasil. Cerca de 100 fragmentos ósseos foram encontrados às margens do rio Itapecuru, no município de Itapecuru Mirim, no Maranhão. O Amazonssauro pertence a superfamília dos saurópodes chamada Diplodocoidea, media pouco mais de 10 metros de comprimento e 5 metros de altura, chegando a pesar quase 20 toneladas.

Em sua época a região era composta por extensas planícies freqüentemente alagadas, fato este verificado por outros fósseis encontrados junto ao Amazonssauros, que incluem até grandes dentes de carnívoros. A descoberta foi realizada por pesquisadores da UFRJ, Ismar de Souza Carvalho e Leonardo dos Santos Ávilla, que juntamente com outros pesquisadores da Universidade Federal do Maranhão continurão realizando pesquisas na área.

Os Amazonssauros deveriam viver em pequenos grupos famíliares, compostos de adultos que adavam nas bordas da manada, deixando os menores ao centro para proteção. Seus enormes pescoços os ajudavam na alimentação, pois poderiam permacer parados, apenas movimentando o pescoço conseguindo assim cobrir uma grande área de pastagem, poderiam alcançar facilmente galhos altos de árvores, porém os Diplodóceos possuíam pescoços mais adaptados para comer vegetações rasteiras do que as de topo das árvores.

Argentinossauro

Informações sobre o Argentinossauro

Nome:Argentinossauro
Nome Científico:Argentinossauro huinculensis
Época:Cretáceo
Local em que viveu:América do sul
Peso:Cerca de 90 à 110 toneladas
Tamanho:20 metros de altura e 45 metros de comprimento
Alimentação:Herbívora
O Argentinossauro huinculensis cujo nome significa "Réptil argentino de Huincul" em homenagem a cidade onde foi encontrado, foi sem dúvida um dos maiores animais que já existiram na face da Terra.Este gigantesco saurópode pertence a infra-ordem Neosauropoda, super-família Titanosauroidea e a família Andesauridae.

Em 1987 o fazendeiro Guillermo Heredia encontrou em sua propriedade, na província de Neuquén, Argentina, enormes fósseis que inicialmente identificou como troncos petrificados. Seu maior espanto foi quando percebeu, mais tarde, que na verdade estava diante de ossos enormes fossilizados.

Imediatamente ele chamou o paleontólogo Rodolfo Coria e sua equipe, do Museu Carmen Funes em Plaza Huincul, cidade da região da Patagônia, que reconheceram o material como sendo de um enorme dinossauro desconhecido.

Em 1989 sua equipe começa a escavação que levou vários meses, e conseguiu retirar da rocha poucos fósseis de gigantescas proporções, como Vértebras, tíbias, ossos da pélvis e algumas costelas, que demonstraram desde o início que se tratava de um novo dinossauro, maior todos os outros já descobertos e com o auxílio do Dr. José Bonaparte, do Museu de Buenos Aires, ele fez um estudo que levou 4 anos para se concluir. Finalmente em 1993 foi anunciado ao mundo científico a nova espécie.


Nas imagens acima, a primeira mostra um enorme Argentinossauro sendo caçado por um grupo de Giganotossauros, a segunda mostra uma comparação entre um elefante Africano, que é o maior animal terrestre existente no planeta, um Braquiossauro (cinza), com aproximadamente 13 metros de altura e o Argentinossauro (marrom), com 20 metros de altura.

E na quarta imagem temos três grandes recordistas do mundo animal, o primeiro da esquerda é um Argentinossauro ( o animal terrestre mais pesado, 100 toneldas ), o segundo no meio é um Sauroposeidon ( o animal terrestre mais alto, 25 metros ) e o último da direita é um Seismossauro ( o animal terrestre mais comprido, 52 metros ), temos também um pequeno ser humano em tamanho proporcional para verificarmos as gigantescas dimensões desses animais.

Os Argentinossauros tinham vértebras muito rígidas. Sua flexibilidade foi sacrificada por causa do imenso peso. Eles viveram há aproximadamente 90 á 66 milhões de anos atrás, com maior intensidade de achados na Patagônia Argentina.

Punham ovos do tamanho de uma bola de futebol, isto é, nasciam desproporcionalmente pequenos. Cientistas acreditam que aos 5 anos teria o tamanho de um pastor alemão, aos 15 teria o tamanho de um cavalo e só seriam adultos aos 50 anos.

Supõe-se que tivessem sangue frio, pois com o sangue quente, teriam que ingerir 5 ou 6 toneladas de folhas por dia, uma quantidade teoricamente impossível para uma cabeça tão pequena. Mas com sangue frio necessitariam ingerir "apenas" 1 tonelada, mas isso é apenas uma teoria sobre os saurópodes e existem várias delas.

Edimontossauro

Informações sobre o Edmontossauro

Nome Científico:Edmontosaurus regalis, E. annectens e E. saskatchewanensis
Época:Cretáceo, entre 76 à 65 milhões de anos atrás
Local onde viveu:América do Norte, Alberta no Canadá e EUA
Peso:até 3 toneladas
Tamanho:até 13 m de comprimento
Alimentação:Herbívora

O Edmontossauro cujo nome significa "lagarto de Edmontom", era um dinossauro herbívoro, que pertenceu ao grupo dos ornitópodes. Viveram durante o período Cretáceo Superior, na América do Norte e Canadá. Foram constituídos por três espécies principais: Edmontosaurus regalis, Edmontosaurus annectens e Edmontosaurus saskatchewanensis.
Tinha uma espécie de saco nasal, o que acredita-se que emitia sons. Possuía uma mandíbula com uma incrível fileira de dentes em que havia mais de 2.000 dentes, mas que estavam dispostos de uma maneira tão compacta que não servia para morder, no sentido estrito, com eles, esta fera arrancava tufos de vegetação, frutas, sementes, que moia e depois mastigava lentamente. Tinha bochechas que servia para guardar alimentos como um hamister atual.

http://2.bp.blogspot.com/_JZcYwQVaoNI/TM3pvobA3sI/AAAAAAAAAc8/Q_dLKDm_0Cg/s1600/edmontossauros.jpg
Era um Hadrossauro, assim como o Parassaurolofo, Maiassaura e outros do gênero. Com quase o comprimento de um Tiranossauro, este herbívoro era um dos maiores hadrossauros que já existiu. Vivia em manadas que chegavam a dez mil animais e eram freqüentemente um banquete para o Tiranossauro Rex.

Seismossauro

Informações sobre o Seismossauro

Nome Científico:Seismosaurus hallorum 
Época:Jurássico, entre 152 à 145 milhões de anos atrás 
Local onde viveu:América do Norte e América Central 
Peso:Cerca de 80 toneladas 
Tamanho:52 m de comprimento
Alimentação:Herbívora

O Seismossauro cujo nome significa "lagarto que faz a terra tremer", era o dinossauro mais comprido que já existiu na terra. Em 1985, grandes ossos achados no Novo México e EUA, foram identificados como sendo desse dinossauro, viveu durante o período Jurássico entre 152 à 145 milhões de anos atrás.
Com o corpo em forma de barril, cabeça pequena e uma cauda incrivelmente longa, o Seismossauro tinha uma espinha dorsal forte e flexível. Em toda sua extensão, essa coluna era sustentada por enormes ligamentos, como os cabos de uma ponte moderna.

Agitando a cauda como um chicote o Seismossauro conseguia abater um predador com afacilidade com que se mata uma mosca. Quando os ossos de Seismossauro foram encontrados havia mais de 200 pedras redondas e polidas perto dele. Eram gastrólitos, ou pedras do estômago, que ajudavam o dinossauro a digerir a enorme quantidade de plantas que comia. 

Provavelmente andavam em manadas com os jovens no meio, pois os adultos eram tão grandes que quase nenhum predador conseguia atacar, já os jovens eram lentos e não tinham tanta força para se defender de predadores. 

Ouranossauro

Informações sobre o Ouranossauro

Nome Científico:Ouranosaurus nigeriensis 
Época:Cretáceo, entre 115 à 110 milhões de anos atrás 
Local onde viveu:Nigéria no Norte da África 
Peso:entre 2,7 a 3,6 toneladas 
Tamanho:até 7 m de comprimento e 3 m de altura 
Alimentação:Herbívora

O Ouranossauro cujo nome significa " Lagarto valente " era um iguanodontídeo e como todos eles, possuía mandíbulas que apresentavam dentes queixais e podiam andar com 2 ou 4 pernas, eram aparentados aos hadrossauros mas possuíam diferenças, este possuía uma espécie de vela nas costas que poderia servir para se aquecer e/ou demonstrar vigorfísico para prováveis inimigos e fêmeas para acasalamento.

Suas patas traseiras eram muito fortes e robustas, proporcionando ao animal uma boa agilidade em fugas rápidas, caso contrário se tornariam presas fáceis aos terríveis Carcharodontossauros que viveram junto com os Ouranossauros. 

Ads not by this site

Homacephale

Informações sobre o Homalocephale

Nome Científico:Homalocephale calathocercos 
Época:Fim do Cretáceo, entre 83 à 65 milhões de anos atrás 
Local onde viveu:Ásia e Mongólia 
Peso:Cerca de 70 kg 
Tamanho:de 1,5 a 3 m de comprimento e 1,2 m de altura 
Alimentação:Herbívora

O homalocephale (Homalocephale calathocercos, que significa "cabeça chata") foi uma espécie de dinossauro herbívoro e bípede que viveu no fim do período Cretáceo. Media entre1,5 e 3 metros de comprimento e pesava em torno de 60 quilogramas.

O homalocephale viveu na Ásia e seus fósseis foram encontrados na China e na Mongólia. Assim como os demais integrantes da ordem pachycephalosauria o homalocephale possuía uma área óssea em forma de arco na parte de cima do crânio muito mais espessa que o normal, acredita-se que ela era usada em disputas entre os machos da mesma espécie para o controle do bando ou em disputas pelas fêmeas, há ainda a possibilidade menos provável de que o homalocephale a usasse para se defender dos predadores.

Coritossauro

Informações sobre o Coritossauro

Nome Científico:Corythosaurus casuarius 
Época:Cretáceo, entre 76 à 74 milhões de anos atrás 
Local em que viveu:Alberta no Canadá e EUA 
Peso:até 4 toneladas 

Tamanho:até 10 m de comprimento e 4 m de altura 
Alimentação:Herbívora

O coritossauro fazia parte do grupo de dinossauros conhecidos como "bico de pato", pois tinham um bico largo e achatado na extremidade do focinho. Apesar dessa aparência, na boca escondiam-se maciças baterias de dentes que nada tinham a ver com as mandíbulas desdentadas de um pato. 
No entanto, o que mais surpreendia era a crista do coritossauro, porque dá a impressão de que o animal está usando um capacete. Seguramente, estes dinossauros utilizavam a sua extravagante crista como distintivo visual, o ajudava na época da reprodução e para emitir sons especiais, já que era oca e se comunicava com o nariz e a boca. Essa saliência era diversificada em indivíduos de sexo diferentes e jovens, eles eram do tipo lambeosaurídeo que surgiu no jurássico com crista arredondada. 
O corpo do coritossauro se equilibrava na pélvis e depositava todo o seu peso nas patas traseiras, que eram altas e robustas. Não obstante, os braços não eram tão curtos e fracos como em outros dinossauros bípedes, daí se deduz que o animal também apoiava as patas da frente no chão, quando lhe convinha, por exemplo, para comer plantas rasteiras ou para nadar. Por outro lado, a estrutura de forma larga destas e a considerável grossura da cauda levam a pensar que estes animais freqüentavam a água.

Os corythosaurus viviam em grupos e passavam o dia cortando e mastigando vegetação, como folhas duras, sementes, pinhas e ramos tenros, sempre atentos para não serem surpreendidos por predadores da região. O coritossauro media cerca de 10 metros de comprimento e chegava a pesar 4 toneladas. 
Seu nome significa "lagarto de capacete" (ou elmo), a forma do crânio variava conforme a idade, sendo que seu "capacete" só ficaria totalmente formado quando o animal atingi-se a maturidade. Era um herbívoro hadrosaurídeo que vivia no Cretáceo, em rebanhos enormes que migravam por toda a América do Norte

Torossauro

Informações sobre o Torossauro

Nome Científico:Torosaurus latus 
Época:Cretáceo, entre 70 à 65 milhões de anos atrás 
Local onde viveu:América do Norte no Canadá e EUA 
Peso:até 7 toneladas 
Tamanho:de 7,5 a 8 m de comprimento e 2,5 m de altura 
Alimentação:Herbívora

Ads not by this site

O Torossauro cujo nome significa "lagarto touro" foi encontrado pelo famoso paleontólogo Othiniel Charles March. Ele podia atingir até 8 metros de comprimento, dos quais quase 3 eram só da cabeça, o qual é o maior crânio dentre os animais terrestres conhecidos.

O escudo e os chifres eram ótimas armas de defesa contra predadores porém eram também utilizadas em batalhas entre machos na disputa de fêmeas, escudo o qual acredita-se que fosse ornamentado de colorido que serviria para seduzir fêmeas e aterrorizar possíveis adversários.

Os músculos do pescoço do Torossauro eram extremamente forte para aguentar o peso da enorme cabeça e juntamente com eles os das patas dianteiras.

Os Torossauros viviam em enormes manadas para se defenderem dos grandes predadores de sua época, como por exemplo o Tiranossauro rex, a manada se uniria e formaria um parede de escudos e chifres com os mais fracos (filhotes, velhos e doentes) no interior dela. 

Paquicelafossauro

Informações sobre o Paquicefalossauro

Nome Científico:Pachycephalosaurus wyomingensis 
Época:Fim do Cretáceo, entre 76 à 65 milhões de anos atrás 
Local onde viveu:Canadá e EUA 
Peso:até 2 tonelada 
Tamanho:entre 5 a 8 m de comprimento e 1,5 a 3,1 m de altura 
Alimentação:Herbívora

Os primeiros restos de fósseis dessa espécie de dinossauro foram encontrados no EUA e Canadá, em meados do século passado. O que mais impressionou os estudiosos foi a extraordinária espessura do crânio desses animais com quase 25 cm. Seu focinho era coberto por ferrões ósseos. O Paquicefalossauro andava ereto e usava a cauda para se equilibrar quando parado. 
É raro encontrar crânios completos nos achados de dinossauros, pois estes eram leves e se decompunham com maior rapidez antes de virar fóssil. No caso do Paquicefalossauro "lagarto cabeça-dura", o crânio conservou muito bem, devido justamente a sua forte espessura. 
Segundo os cientistas, o Paquicefalossauro poderia ser considerado uma "cabra montanhesa" do seu período, pois vivia nas montanhas em pequenos rebanhos. Alguns acreditam que para decidirem quem mandaria no lugar, Paquicefalossauros teriam lutado entre si, participando de concursos de bater cabeça, mas essa teoria já foi superada, pois sabe-se que, sendo o topo da cabeça do Paquicefalossauro perfeitamente redondo, seria praticamente impossível um dos crânios não se deslocarem quando os dois animais desse porte e nessa velocidade colidissem.

Neste caso, o crânio do oponente atingiria a região dos olhos ou focinho, que é muito frágil, levando à um ferimento muito grave ou até mesmo a morte. Provavelmente, caso estes animais lutassem mesmo, usariam seus crânios para acertar a barriga ou o peito do adversário, deixando-o sem fôlego e vencendo a batalha. 

Tricerátops

Ads not by this site

Informações sobre o Tricerátops

Nome Científico:tricerátops horridus 
Época:Cretáceo, entre 67 à 65 milhões de anos atrás 
Local onde viveu:América do Norte no Canadá e EUA 
Peso:até 5 toneladas 
Tamanho:até 9 m de comprimento e 3,5 m de altura 
Alimentação:Herbívora

O Tricerátops era um dinossauro do grupo dos ceratopsídeos que viveu entre 67 à 65 milhões de anos atrás durante o período Cretáceo na América do Norte em Montana nos EUA e em Alberta no Canadá, os quais possuíam a cabeça grande e extremamente forte, os maxilares laterais tinham bochechas musculosas, muitos dentes bastante afiados, um bico córneo curvado com o qual provavelmente arrancava as plantas duras.

Uma prolongação do crânio maciça que servia como escudo para proteção de eventuais ataques de predadores e combates entre machos, e três chifres sendo dois grandes acima dos olhos e um pequeno na ponta do nariz.

Os tricerátops provavelmente vivessem em enormes bandos, os quais possuíam uma escala hierárquica com machos disputando posições e direitos de acasalamento, porém em situações de ataque de algum predador.

Acredita-se que se juntavam de forma defensiva contra o predador, formando uma "parede" de escudos e chifres contra o oponente, com os filhotes fracos e doentes no interior dessa "muralha" defensiva e dessa forma acredita-se que se defendiam contra o seu maior predador, o Tiranossauro.

Braquiossauro

Informações sobre o Braquiossauro

Nome:Braquiossauro.

Nome cientifico:Brachiosaurus Brancai, Brachiosaurus Altithorax.

Tamanho:23 metros de comprimento e 16 metros de altura.

Peso:84 toneladas.

Local:América do Norte e Àfrica.

Época:Período Jurássico.

Alimentação:Herbívora.

Família:Brachiosauridae.

O Braquiossauro cujo nome significa "lagarto braço", dado os seus membros anteriores ("braços") serem maiores que os posteriores, era um género de dinossauro saurópode que viveu durante o fim do período Jurássico.

O primeiro braquiossauro foi descoberto em 1900 no Colorado, EUA, mas também viveu na área onde se localiza hoje a Argélia e a Tunísia, há aproximadamente 144 milhões de anos atrás, durante o período Jurássico. Esse animal provavelmente não poderia erguer-se naspatas traseiras como mostra o filme "Jurassic Park", pois elas eram mais curtas que as dianteiras. Mesmo assim sua altura lhe permitia, sem esforço, comer as copas das árvores, sua atividade principal.

O braquiossauro passava a maior parte do dia comendo folhas de suas árvores prediletas como as coníferas (um tipo de pinheiros), cicadáceas e ginkgoáceas. As estimativas mais recentes, baseadas em modelos reconstruídos com ossos e musculatura calculada, situam o seu peso entre 32 toneladas (Gregory Paul 1988) a 37 toneladas (Christiansen 1997). Durante muito tempo julgou-se ser este o maior dinossauro a ter existido. Porém sabe-se agora que vários titanossauros (o argentinossauro, por exemplo) eram maiores que o braquiossauro. Recentemente foi descoberto um outro brachiosaurideo, o sauroposeidon, que provavelmente também era maior que o braquiossauro.

Calcula-se que, para abastecer seu corpanzil, comia mais ou menos 2 toneladas de plantas por dia. Apesar do grande peso, podia desenvolver uma velocidade de aproximadamente 20 km/h. Com certeza a terra devia tremer.

Como as narinas desse enorme saurópode ficavam no alto da cabeça, muitos cientistas acreditavam que ele vivia na água, comendo plantas aquáticas no fundo de lagos e rios. Nesse caso seu corpo ficaria debaixo da água e de vez em quando aparecia a pequena cabeça com as narinas através das quais ele respirava. Mas essa teoria foi superada, pois sabe-se que seus pulmões não teriam suportado a pressão da água.